Descubra a diferença entre a picanha argentina e a nacional

Podemos até rivalizar no futebol, mas é inegável que um verdadeiro amante do bom churrasco reconhece a qualidade de um corte argentino. Agora, será que a picanha argentina é tão boa ou ao menos parecida com a nossa? A seguir, falaremos sobre as diferenças entre os dois cortes e as características de cada um. Confira!

Diferenças regionais

É importante destacar que as características ambientais dos países fizeram com que raças específicas de bois fossem criadas em cada território. Enquanto raças de origem indiana como o Nelore se habituaram melhor ao clima do Brasil, bois britânicos tiveram uma adaptação mais rápida ao clima argentino.

Na atualidade, há algumas regiões, principalmente no Sul brasileiro, nas quais há criação de bois da raça Angus e Hereford, além de já ocorrer com bastante sucesso o cruzamento entre bois da raça Angus e Nelore, resultando em animais maiores e de maior marmoreio. Por isso que tem se tornado mais comum encontrar cortes de Angus no Brasil.

A topografia de cada país influencia bastante no sabor das peças. Por ter um solo mais acidentado, os bois brasileiros tendem a ser mais musculosos, o que resulta em uma carne de sabor acentuado. Já os bois argentinos andam por pastos planos, característicos dos Pampas. Isso os leva a serem macios e são animais que retêm mais gordura intramuscular.

Picanha argentina é maior

Uma lenda bem familiar a churrasqueiros diz que só pode ser considerada picanha uma peça que tenha no máximo 1kg e que se o açougueiro tenta vender uma carne mais pesada, ele está, na verdade, vendendo coxão duro. Como toda lenda, essa afirmação não se sustenta, pois, o tamanho da picanha é proporcional ao tamanho do boi. A argentina, por exemplo, costuma ter, em média, 1,5kg, podendo chegar até a 2kg, já que seus bois de origem britânica são maiores. Já no Brasil, a peça tem, em média, 1,2kg.

Sem rivalidade: traga as duas carnes para o seu churrasco

Com tantos atributos e particularidades, não há motivo para definir qual dos cortes é melhor. Vale muito mais a pena experimentar os dois e degustar a riqueza de sabor e suculência que cada um traz. Como dica, recomendamos que você explore o tapa de cuadril com guarnições e bebidas típicas da Argentina. Você terá, dessa forma, uma experiência sensorial ainda mais satisfatória.

Também não se esqueça de comprar a sua carne em um lugar de confiança. Nossa sugestão? Associe-se à Sociedade da Carne! Somos o primeiro clube de carnes nobres para churrasco e temos parcerias com os melhores frigoríficos e produtores do Brasil e da Argentina. Todo mês você terá a oportunidade de conhecer um novo corte e ainda receberá dicas de preparo sem precisar sair de casa. Transforme o churrasco na tradição da sua família!

Comentários

comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *