Seleção Março de 2017 – Picanha Argentina

Origem e Característica

No mês de março, a Sociedade da Carne traz para os associados aquela, que com certeza, é a grande queridinha dos churrasqueiros brasileiros (mas com um toque argentino). Trata-se da picanha Tacuarembó, corte que tem origem argentina e vem do frigorífico que tem o mesmo nome, que é famoso por exportar produtos para mais de 50 países, ainda estuda os hábitos e gostos de cada região para assim, servir cortes certeiros para seus clientes. Nossa Seleção de Março dará a seu churrasco toda fama que acerca o bom churrasco argentino. Você vai adorar!

Curiosidade

Os motivos que levaram a picanha ser a “Rainha do Churrasco” brasileiro são misteriosos. Até a década de 70, além de ser vendida como parte da alcatra e coxão duro, a picanha sofria certo preconceito, tudo por causa de sua grossa camada de gordura, fator essencial para o sabor, maciez e suculência dessa carne. A partir daí, tudo mudou: a picanha se popularizou e caiu no gosto do brasileiro, cenário esse que é diferente na Argentina. Apesar de nossos Hermanos exportarem bastante picanha para suprir o consumo do brasileiro, por lá, esse corte é mais utilizado para fazer bife de tiras. Para o churrasco, o que os argentinos gostam mesmo é do bife de Ancho ou o de Chorizo.

Sugestão de Preparo

Picanha Selada no Mel

Ingredientes

  • Picanha Argentina Tacuarembó
  • Mel
  • Sal grosso (de preferência moído na hora)

Preparação:

  • Passe uma porção generosa de mel por toda a peça de picanha e o espalhe com a ajuda de um pincel.
  • Polvilhe os dois lados da picanha com sal grosso moído na hora
  • Leve a peça já preparada com o mel e o sal à churrasqueira, que deve estar com fogo forte, mas sem chamas altas.
  • Se o fogo estiver muito alto, sele primeiro a carne com a gordura da picanha para cima. Isso evita com que se criem labaredas.
  • Sele a carne por 2 minutos de cada lado.
  • Antes de cortar, deixe a carne descansar por cerca de 2 minutos. Esse procedimento garante com que a os sucos do corte não escorram e se espalhem por toda carne, mantendo assim a suculência e a maciez da picanha.
  • Corte a picanha em bifes de mais ou menos dois dedos. Depois, polvilhe os dois lados dos bifes com sal e volte ao fogo forte.
  • Deixe assar os bifes por 2 minutos de cada lado.
  • Retire os bifes do fogo e, antes de fatiar, os deixe descansar por cerca de 1 minuto.

Agora é só servir e se deliciar!

DICA DE HARMONIZAÇÃO

Club Beer Logo

Delta IPA

Para acompanhar a picanha selada no mel, a sugestão é a Delta IPA. Uma India Pale Ale belga, que apresenta no aroma e sabor, notas intensas de lúpulo, além do dulçor do malte que carrega o segundo plano. Perfeito equilíbrio, completado por álcool médio e drinkability que sempre pede um segundo gole. Essa cerveja é a pedida ideal, pois as notas de mel vindas do malte se assemelham às da receita, além do amargor equilibrar a gordura do prato. O álcool não sobressai à receita e traz leveza ao paladar.

Para mais informações sobre esta e outras cervejas, acesse www.clubeer.com.br

Evino Logo Obikwa Syrah 2015

Rica em taninos, com aromas únicos e perfeita para acompanhar de vegetais a carnes suculentas, a Syrah é a pedida certa para a picanha selada no mel. Com o nível de álcool e a estrutura tânica que o corte exige, o Obikwa Syrah traz aromas frutados e de especiarias que combinam perfeitamente com a delicadeza do mel. Além disso, ele oferece a pureza de um vinho elaborado a partir de métodos sustentáveis na famosa região sul-africana de Stellenbosch.

                      Para mais informações sobre este e outros vinhos, acesse www.evino.com.br

Quer se tornar um verdadeiro mestre churrasqueiro?

Receba dicas, promoções e receitas


Não, já sei tudo sobre churrasco

Obrigado por se cadastrar!

Agora você faz parte da nossa newslleter.